Como Começar a Investir?

Tudo começa com um sonho, uma meta, um objetivo. Do contrário que parece, você não precisa ser nenhum especialista em finanças para começar a investir, mas precisa fazer um exercício mínimo de autoconhecimento para saber quais são seus sonhos e o quer conquistar durante a vida. Por isso, tenha em mente que investir é como planejar uma viagem, sendo que o primeiro e o mais importante passo é: saber para onde se quer ir.


Uma vez definidos os objetivos, o segundo passo é fazer sobrar dinheiro todo final de mês. E fique esperto, o que não pode acontecer é você ficar sentado esperando sobrar dinheiro, pois sem esforço e sem ação, isso não vai acontecer. Uma dica valiosa é tentar viver sempre "um degrau de vida abaixo" do que você poderia, ou seja, tentar viver como se ganhasse cerca de 20% a menos do que você ganha atualmente, e usar esses 20% justamente para investir. Nesse processo, muita coisa deverá ser revista, prioridades deverão ser estabelecidas e tudo o que for supérfluo deverá ser cortado.


Muitas pesssoas que gostariam muito de começar a investir, e não o fazem, dão sempre a desculpa da falta de dinheiro. Mas são essas mesmas que volta e meia sempre dão um jeitinho de comprar um celular novo, um novo par de sapatos, uma TV nova e por aí vai... Lembre-se, o esforço de corte de gastos é igual a economizar no caminho da viagem, para aproveitar ainda mais o prêmio no destino depois.


Para resistir a tentação dos gastos, o ideal é que você já transfira para a sua corretora os 20% (relativos aos investimentos que fará) assim que você receber o seu salário mensal, e, acima de tudo, transforme isso em um hábito.


E como começar a investir com corretora?


Escolher a corretora é escolher como você vai fazer a sua viagem. E aí existem muitos aspectos envolvidos: a preferência pessoal, a adpatação com a plataforma, a preferência por aquela que forneça bons materiais educativos, e claro, o ponto mais importante da escolha que é optar por aquela que cobra menos taxas. Pois com muito pedágio, o preço da viagem vai ficar mais cara.

E por falar em taxas, você vai conseguir ter ainda melhores resultados com seus investimentos se criar uma conta em um banco digital, eliminando também as taxas com as transferências que fará todo mês para a corretora.


Faça investimentos diversos para cada objetivo


O terceiro passo para começar a investir é se preocupar com o curto prazo, mas criar o mindset de médio e longo prazos. Sim, tenha consciência de que a viagem é longa! Investir é exercício de paciência, persistência e um caminho que normalmente requer tempo.

Quando falamos de curto prazo, é necessário ter um dinheiro investido ao qual poderá ser resgatado a qualquer momento, que é o que chamamos de reserva de emergência.


Criar a reserva de emergência é o quarto passo para quem está começando a investir. E a recomedação é que você tenha o montante de mais ou menos seis meses do seu custo mensal investido em produtos de baixo risco e liquidez diária como o tesouro selic, fundos DI alguns CDBs e etc. Em geral, esses produtos permitem que, com pouco dinheiro, você já possa começar a investir.


Uma vez acertado as contas com o curto prazo, chegou a hora de dar o quinto passo, que é começar a investir pensando na aposentadoria. Para isso, as melhores recomendações de investimentos são aqueles que podem ser um pouco mais rentáveis e com um pouco mais de risco (pois são investimentos que visam o longo prazo), como as ações, os fundos multimercado, fundos imobiliários, debêntures, tesouro ipca e até criptomoedas, por que não? 


Quanto mais conhecimento melhor


Uma vez garantido o início e o fim da viagem, o sexto passo para quem quer começar a investir seria aumentar o nível de conhecimento dos diversos produtos de investimento disponíveis. Nada de ficar acomodado! Estudo, aprendizado, leitura e adquirir conhecimento vai ser fundamental e essencial para garantir que você continue investindo corretamente seus recursos e consiga atingir todos os seus objetivos de vida, além de evitar que você cometa erros ao longo de todo o processo, como confundir investimento com aposta, colocar todo o dinheiro em uma só aplicação, deixar dinheiro na poupança, não ter uma estratégia bem definida e esquecer os riscos inerentes das suas aplicações.


Investir é aquele tipo de coisa que, ao se tornar um hábito, muda tudo a seu redor. Ao começar a checar seu extrato de rendimentos todo mês, vai acompanhar seu dinheiro crescendo, isso vai gerar um ciclo de motivação, uma vontade de investir cada vez mais. Isso por sua vez, te impulsiona a encontrar formas de economizar mais, e não ficando satisfeito, pode até começar a gerar renda extra para investir, o que acaba apliando a capacidade de investimento num ciclo que se alimenta e muda totalmente a vida. Por esse motivo, mão na massa, aproveite o caminho, aproveite a viagem.


Sobre o autor: Sobre o autor: Luiz Mar é Administrador graduado pela UFPR, com MBA em Direção Estratégica e Pós-Graduação em Finanças Empresarias. Criador do Empoderamento Financeiro (o melhor e mais acessível curso de finanças pessoais do Brasil) onde ensina Inteligência Financeira e Investimentos, é profissional da área financeira e há mais de 15 anos trabalha com planejamento financeiro na Mondelez Internacional. Na Update Consultoria, ajuda empreendedores e profissionais com treinamentos, investigação apreciativa, plano de negócios, plano financeiro, estratégia e finanças pessoais.

12 visualizações